Vida: Daniel Ludtke

 

Nasci em 28 de maio de 1984. Quando me perguntam de onde eu sou, fico até com preguiça de responder. Como filho de pastor, nunca tive raízes num lugar fixo. Digo que sou nordestino. Mas na verdade eu deveria ser capixaba, porque meus pais moravam no Espírito Santo. Mas acabei nascendo do outro lado da divisa, em Minas Gerais.

Após meu nascimento, minha família só morou mais dois anos no Espírito Santo – terra natal do meu pai, pr. Moizés Lüdtke. Ah, e só pra esclarecer, meu sobrenome veio dele, tá? De ascendência alemã, meu pai nasceu na segunda maior colônia de alemães no Brasil: Laranja da Terra, ES. Só pra ter uma ideia, a primeiro idioma que meu pai aprendeu não foi o português, mas o pomerano, um dialeto alemão.

Meu pai, então, foi transferido para Pernambuco, terra da minha mãe Ayte Mércia Lüdtke (que também é filha de pastor e sempre rodou o mundo). Assim que chegamos lá nasceu minha irmã Lisley Lüdtke, hoje com novo sobrenome acrescentado: Cintra. Moramos no ENA (Educandário Nordestino Adventista), em Caruaru, PE, Campina Grande, PB, Maceió, AL e Aracaju, SE.

Em Campina Grande nasceu meu irmão Aldo Lüdtke – e finalmente a família ficou completa. Deus não poderia ter me dado pais e irmãos mais especiais. Foi dentro da minha casa que aprendi a amar a Deus, que cultivei meus princípios, que me apaixonei pela música, que aprendi a valorizar o trabalho, que decidi ser um pastor.

Aos 14 anos, quando meus pais moravam em Aracaju, fui fazer Ensino Médio no IAENE, instituição de ensino da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Lá passei três anos maravilhosos. Lá conheci meus melhores amigos e, conheci a Marla (que na época também estava na classificação “amigos”).

Em 2002, aos 17 anos, comecei as faculdades de Teologia e Jornalismo no UNASP AN/EC (Centro Universitário Adventista de São Paulo campus Artur Nogueira/Engenheiro Coelho). Nesse campus me envolvi e me apaixonei totalmente pelas três áreas em que atuo: ministério pastoral, música e comunicação. Ah, esqueci a quarta área: Marla. Foi no Unasp que a nossa amizade finalmente foi “colorida” pelo Senhor.

Formado, em 2008 atuei como pastor da Escola Adventista de Maceió. No final dessa ano, Marla e eu nos casamos e em 2009 fomos trabalhar em União dos Palmares, interior de Alagoas.

Foi nessa cidade que Deus me disse para escrever o projeto Salmos. Logo começou 2010 e fui chamado para ser o pastor universitário do IAENE (Faculdade Adventista da Bahia). Lá compus a maioria das músicas e em julho apresentei as composições à Gravadora Novo Tempo. Milagrosamente, em dezembro o o DVD estava gravado (e foi lançado em julho de 2011).

Em 2012 fui chamado para ser líderes de jovens na Bahia.